Para saber como foi o dia do seu filho na escola…

O João bateu em alguém hoje? A professora deixou você ser o ajudante do dia? Você não tomou seu suco porque ninguém ajudou a abrir a garrafinha?

Na ânsia de saber como foi o dia na escola, os pais começam a sabatina enquanto caminham do portão até o carro. E não há nada se errado em querer saber como foi aquela manhã ou tarde que seu filho passou longe de você.

Para o bem de nossos filhos, devemos estar atentos, porém, ao tipo de pergunta que fazemos e na expectativa de resposta que geramos.

Na maioria das vezes, o foco não é realmente saber como foi o dia, mas conferir se alguma situação se repetiu ou não. E a forma como a pergunta é feita transmite ao seu filho a exata intenção que você tenta omitir.

O resultado é que a criança, na expectativa de não decepcionar os pais, tende a responder misturando memórias recentes com acontecimentos anteriores, muitas vezes de dias ou semanas passadas.

A criança muito rapidamente percebe que chama mais a atenção quando sua resposta confirma a expectativa dos pais! E não necessariamente ela vai sempre criar mentiras. Pesquisas comprovam que nosso cérebro reconstrói lembranças de acordo com o momento em que falamos sobre elas. Para simplificar, podemos dizer que salvamos aquele documento sempre com as alterações que ele sofreu quando falamos sobre ele. E o ambiente impacta as edições que fazemos em nossas memórias.

Mesmo que de forma inconsciente, nosso desejo maior é mesmo conferir se a escola tomou as providências combinadas em situações anteriores. É tentar investigar se aquele coleguinha “que não para quieto” foi devidamente vigiado. E assim, lá se vai a oportunidade de saber realmente como foi o dia do seu filho.

Ao perguntar para seu filho se o colega bateu em alguma criança “novamente”, ele imediatamente mistura os acontecimentos que de fato vivenciou naquele dia com sua expectativa da resposta “sim, ele bateu de novo!”. Dependendo da faixa etária da criança, ela é capaz de relatar em detalhes a cena. E grandes chances de que o relato misture fatos que aconteceram no dia com memórias de outras ocasiões, as quais foram acessadas a partir do formato da pergunta que recebeu.

Pode parecer complicada a lógica, mas a solução é simples! Duas dicas podem ajudar para que você realmente descubra como foi o dia na escola:

1 – ao invés de tentar conferir se algo específico aconteceu, converse sobre sensações e emoções. Alguns exemplos são: Qual foi a atividade mais legal de hoje? O que você menos gostou de fazer na aula? O que foi mais gostoso no recreio? O que foi chato na aula hoje?

2 – brinque de escolinha com seu filho quando chegar em casa. Você deve assumir o papel de aluno e seu filho o de professor. Enquanto age como criança, observe as reações, humor e a maneira como ele trata você. Caso perceba alguma atitude agressiva ou estranha, não comente com ele ou perto dele. Basta marcar uma conversa com a coordenação da escola e aí sim, juntos, vocês podem ajudar seu filho e a turma toda a terem momentos inesquecíveis de aprendizagem na escola!

                

Uma sereia, muitas memórias…

Estreia hoje no Teatro Santander o espetáculo A Pequena Sereia. Isso mesmo: espetáculo! Produção magnífica, de encher os olhos e arrebatar até os corações mais preparados para emoções fortes.

Essa é a dica para este e para os próximos finais de semana e feriados. Um momento que será para sempre lembrado na família, não importa quanto tempo passe.

Além da diversão garantida, há diversos benefícios que seu filho levará para sempre. Assistir a uma peça de teatro ajuda no enriquecimento da Memória de Longo Prazo, elemento fundamental no processo de aprendizagem formal, na escola.
Mais que isso, seu filho poderá também melhorar a capacidade de foco e atenção prolongados. Momentos como esse, sem botão de “pause” ou “rewind” deveriam ser bem mais frequentes no dia a dia das crianças. Assim podem praticar habilidades essenciais para um bom relacionamento com os estudos!
Pensa que já é motivo suficiente para acionar o #partiu assistir A Pequena Sereia? Calma que tem mais! O enredo deixa também diversas mensagens que seu filho vai processar enquanto amadurece e enfrenta os desafios do dia a dia. Por exemplo, é possível ser “princesa” ou “príncipe” e mesmo assim ter seu lado rebelde ali, lutando por aquilo em que mais acredita. Sentir-se insatisfeito com quem você é, não se identificar com questões físicas e desejar ser diferente é normal. Mas é sempre bom ficar atento a caminhos e ofertas mágicas para realizar seus sonhos. O preço a pagar pode ser alto demais! Sim, tudo isso e muito mais está ali, em uma linda história de amor!

Então, prontos para um final de semana inesquecível?

Nessa semana, tivemos a honra de conversar com parte do elenco e da produção e saímos ainda mais encantadas e orgulhosas de ter um espetáculo tão incrível, com tanta gente talentosa em nosso país.
Gravamos o vídeo abaixo durante a coletiva de imprensa, é só clicar no play para ouvir um pouco sobre quanto o espetáculo pode ser também um ótimo recurso para a educação:
Para mais informações sobre ingressos e datas clique aqui. 
               

Que relação você está construindo com seu filho?

A relação que você terá com seu filho durante a adolescência e na vida adulta depende do que você constrói durante a infância. Embora os pais lamentem tanto a falta de tempo, o que realmente conta é como você aproveita as oportunidades que tem de interação em família. Dar atenção exclusiva, deixando de lado seu trabalho, celular, afazeres domésticos é sempre um presente que todo filho adora ganhar. Mas não se iluda. Se você não fizer isso quando tiver uma criança em casa, não adianta chorar porque o adolescente quer sempre ficar sozinho e não fala com você.  Da mesma forma, não adianta cobrar o que você não ensinar pelo exemplo.

Troque a reclamação pela falta de atenção por um convite para um passeio, uma brincadeira ou mesmo para ouvir seu filho explicar para você como jogar o game favorito dele. Arrume tempo para conhecer o mundo do seu filho e vocês construirão juntos um mundo só de vocês. Um mundo seguro, para o qual seu filho saberá que pode correr sempre que precisar de energia e força para enfrentar os obstáculos e desafios da vida. A construção desse abrigo requer tempo, dedicação, paciência e parceria entre você e seu filho. Esse espaço de amor e proteção só poderá ser reconhecido como de vocês dois se for construído a quatro mãos, duas cabeças, dois corações. E sem pressa. Uma amizade entre pai e filho/filha é construída ao longo de uma vida. Muitas vezes os tijolinhos desse abrigo virtual serão palavras, olhares, abraços, um simples carinho.

Outros tijolinhos serão formados pelos limites, os “nãos” firmes e consistentes dados na hora certa. O cimento que os une e dá firmeza é uma mistura da coerência entre sua falas e suas atitudes, o exemplo que você der e o amor, o amor incondicional. E isso explica o porquê levamos anos e anos para construir o espaço de confiança e companheirismo entre pais e filhos e segundos para destruir tudo isso. Se um dia faltar a verdade ou o amor, sem a massa que garante a estabilidade da construção, não há mais o local de encontro para os momentos em que você, pai, já idoso, carente de colo e atenção, possa descansar no abraço de um filho. Com um pouco de sorte, seu filho não o deixará sem abrigo. Mas o ponto de vocês, construído por vocês, cuidado nos detalhes por vocês e que traria o sentimento de lar, esse não existirá. O tempo e o amor que você negar hoje, farão muita falta para você mesmo no futuro. Então, será tarde demais para lamentar suas escolhas.

#contruindolaços #amordemãe #amoremfamília #família #tempoparaosfilhos #filhos #maternidade

                    

Você sabe o que é a Base Nacional Comum Curricular – BNCC? Sabe como o processo de aprendizagem de seu filho será impactado por ela?

A BNCC determina os conhecimentos essenciais que todos os alunos da Educação Básica têm o direito de aprender. A partir desse documento, as redes de ensino e escolas vão elaborar o currículo e os professores os planos de aula para suas turmas.

Para entender melhor a importância da BNCC para a educação no Brasil, imagine que cada escola seja um restaurante que oferece as refeições que deveriam garantir o crescimento saudável e pleno de seu filho.

Nada mais justo do que ter uma definição por parte do governo de que ingredientes e nutrientes básicos para o desenvolvimento de cada aluno deve estar presente em cada refeição. E, garantido o mínimo para que a saúde e desenvolvimento físico e intelectual estejam presentes, cada “refeitório” pode e deve personalizar a comida de acordo com gostos e cultura local. É esse o objetivo da BNCC, só que ao invés do alimento para o corpo, seu foco é o alimento para o desenvolvimento cognitivo de cada aluno.

O que acontece hoje é que cada escola ou rede de ensino define que conteúdo ensinar em qual momento. Não há garantia de que todos os alunos estejam aprendendo o mínimo necessário para seu desenvolvimento em cada ano escolar. A partir da implementação da Base Nacional Comum Curricular, o sistema educacional deve ficar mais justo para com os cidadãos brasileiros. Além disso, há um grande foco em desenvolver competências e não somente aprender ou decorar conteúdos. E aí entra seu papel, pai ou responsável: sua participação nesse processo é fundamental.

Acompanhe na escola do seu filho o processo de implantação da BNCC. Pergunte, participe, dê opinião. E aqui, no SOS Educação vamos postar uma série de dicas e sugestões de como você pode fazer em casa, na rotina da família, a diferença para que seu filho se desenvolva de forma plena e aproveite melhor o que a escola oferecer. As competências propostas pela BNCC somente serão plenamente desenvolvidas se a família fizer sua parte, dentro de casa, junto de seus filhos!

                  

3 habilidades do “mundo analógico” que seu filho precisa para aprender

Apesar de toda contribuição da tecnologia para melhorar a relação que o aluno tem com os estudos, um conjunto de habilidades básicas continua a ser essencial para o aprendizado acontecer. Listamos 3 habilidades que são fundamentais para o cérebro conseguir aprender o conteúdo formal da escola, mas que são cada vez menos exercitadas e desenvolvidas no dia a dia da família.

1. Paciência: A paciência que seu filho desenvolve dentro de casa o tornará um aluno mais atento na escola, um amigo que respeita as diferenças e um ser humano capaz de se dar o tempo necessário para refletir sobre o que vê, ouve e lê! Além disso, a criança que desenvolve a habilidade da paciência consegue entender que não há soluções para os problemas reais do dia a dia que sejam alcançadas com um clique, como acontece no mundo digital. Para ensinar seu filho a exercitar a paciência você precisa ser o modelo, dentro de casa e no convívio social. Além disso, é preciso envolver seu filho em atividades que beneficiam a todos da família, como ajudar a fazer as compras no supermercado, passar na farmácia ou na lavanderia no caminho de volta para casa .  

 

2. Persistência: No processo de aprendizagem formal não há uma tecla que possa ser pressionada para que tudo seja automaticamente configurado ao gosto e desejo do aluno. A menos que os pais ensinem a criança a lidar com essa realidade, a relação com a aprendizagem será sempre negativa, prejudicando o resultado ao longo da vida do aluno.Uma dica simples para que seu filho desenvolva essa habilidade é incluir na rotina, desde muito cedo, quebra-cabeças e jogos de tabuleiro. Tenha momentos em casa em que todos os eletrônicos estejam desligados e monte com ele os brinquedos. Algumas vezes, termine primeiro. Brinque de jogo da memória. Vença algumas vezes, deixe que ele ganhe outras. A capacidade de enfrentar os desafios da aprendizagem será fortalecida!

3. Foco e concentração: A capacidade de foco e concentração é desenvolvida quando a criança brinca com uma coisa de cada vez  ou quando ouve a fala dos pais, sem interferência de outros aparelhos ligados simultaneamente. Pesquisas comprovam que alguns desenhos animados literalmente roubam a capacidade de foco de uma criança. Fazer diversas atividades simultaneamente também acarreta dificuldade em focar no momento do aprendizado formal. O caminho para a escola ou passeio é um exemplo de momento em que a capacidade de concentração pode ser aprendida e praticada. Que tal conversar com seu filho sobre o que vocês veem ao redor, sobre as condições do tempo, pessoas, carros, cor dos prédios? Além de relaxar de toda a correria e estresse, você ajudará seu filho a ampliar a capacidade de foco e concentração e os benefícios ficarão por toda a vida!